Manifesto Para a Orientação Educacional do Século XXI

Introdução

Manifesto
Manifesto

Este manifesto foi o resultado de anos de análise do que acontece com a educação no Brasil nas mais diversas esferas e modalidades de ensino.
Foi resultado de pesquisa e atenção, as muitas queixas de alunos e desejosos em prosseguir seus estudos para uma melhoria em sua vida acadêmica e profissional.  Estes, são sobreviventes que sofreram com esta mesma educação traumatizante no decorrer dos anos.

Nesse manifesto não apresentamos apenas aquilo que está de errado com a educação brasileira e que naturalmente precisa ser mudado. Não apresentamos paliativos para amenizar os sintomas. Nosso maior propósito é atacar a doença e dar a solução real para transformarmos completamente a realidade catastrófica que nossa educação foi submetida auxiliando assim as pessoas que desejam ampliar seus horizontes acadêmicos e profissionais. Sem duvida o leitor desse manifesto será transformado e fará parte do nosso movimento, para mudar sua realidade frente a sua vida acadêmica e profissional.
Obs: Nenhuma critica foi desferida diretamente para uma instituição de ensino especifica. Isso foi um apanhado geral do que esta acontecendo com o ensino hoje.

CAPITULO I

A triste Realidade do Nosso País concernente a falta de uma educação de qualidade

A seguir iremos apontar os pontos importantes em que as pessoas que visam obter uma melhor educação e sucesso profissional, tem falhado em suas respectivas jornadas. Elas não erram por culpa delas, mas sim por causa de vários fatores que não dependem delas. Com isso será mais fácil identificar o problema e assim mudar esse quadro.

  1. O Governo Mantém as Pessoas ignorantes e as torna presa fácil para o mercado educacional.

O governo federal brasileiro não lança informações relevantes para o alcance da população de maneira massiva para que a mesma possa estar realmente orientada com o fim de saber qual o passo certo que devem tomar para uma melhor vida acadêmica e profissional. Mesmo com a LDB o governo não procura deixar essas informações de maneira acessível para a população. Quando isso acontece que as instituições de ensino, faculdades e universidades (egoístas) possam se aproveitar dessas pessoas que não sabem nada, absolutamente nada do que esta acontecendo. Elas permanecem cegas sem a menor noção do mercado. Essas pessoas acabam não levando em consideração aquilo que realmente gostam e querem fazer com suas vidas. Elas ignoram a legislação educacional e seus direitos. Essas pessoas tornam-se presas fáceis para aproveitadores.


  1. As pessoas pela falta de informação pegam informações incorretas e repassam e assim tomam as piores decisões.

Muitas dessas pessoas acreditam nas propagandas mentirosas de faculdades que a unica coisa que visam é obter o lucro. Acreditam que fazer o curso X ou Y poderá mudar suas vidas, mesmo que esses cursos não sejam aquilo que realmente elas procuram.

Muitas delas escutam família, amigos e outros para cursar determinado curso como se fosse o correto. Eles fazem isso mesmo que não tenham nenhuma empatia pelos cursos aconselhados por essa massa. Com isso acabam se matriculando no curso errado e também na instituição de ensino errada. Não fazem um teste de aptidão para saber o que seria melhor para elas.


  1. Instituições de Ensino sem Escrúpulos

Com isso essas pessoas desprovidas de informação caem na rede das instituições de ensino. A maior parte das faculdades, universidades e demais instituições de ensino parecem não se importar com seus alunos ou aprendizado. Seguem as exigências dos órgãos reguladores unicamente por causa de si mesma e não por causa do aluno.

Mentem para conquistar o aluno e depois não sustentam aquilo que foi prometido. Possuem advogados que não se importam com os alunos e sim com a instituição. Essas mesmas instituições de ensino copiam outras instituições com fim de aparentarem melhor em qualidade e assim conquistarem mais alunos. Entram nas batalhas com preços baixos sem sequer se importarem com a qualidade do ensino que oferecem prostituindo assim a nossa educação. É o jogo do ganha, ganha. Como senão bastasse, as mesmas instituições possuem centenas de processos na justiça com vários alunos que foram ou se sentiram lesados. Mesmo assim essas mesmas instituições continuam atuantes no mercado educacional, aparentemente sem nenhuma punição justa. Como se não bastasse essas instituições tem várias reclamações no reclame aqui. Muitas vezes essas mesmas instituições estão acompanhadas de dividas milionárias, negativação junto ao SPC e Serasa além de protestos em cartório.

As grandes instituições de ensino procuram comprar instituições menores com o fim de monopolizar o mercado unicamente para si. Com isso geram desemprego e sofrimento para muitas famílias (funcionários) e estudantes. Eles não deixam nenhum legado e não tem nenhuma missão em melhorar o mundo. Elas existem apenas para ganhar dinheiro sem possuir nenhuma ideologia. São instituições sem alma.

A propaganda dessas instituições dizem uma coisa e a verdade se mostra outra. Essas mesmas instituições de ensino pagam atores para indicarem seus cursos, porém isso mostra a falta de pessoas reais que estudaram e recomendam de fato os seus cursos. Somente pagando atores para chamar a atenção da população. Eles precisam de um rosto conhecido. O aluno fica iludido e se matricula em um curso que talvez não mude nada em sua vida.

Essas instituições, possuem Professores doutrinadores: geralmente são professores que abusam de sua autoridade e posição social dentro da sala de aula para impor ao estudante modos de pensar, atitudes e crenças. O professor doutrinador também coage o aluno a concordar com seus posicionamentos políticos, teóricos e científicos como sendo os verdadeiramente válidos e corretos e impede que as diferenças e o ensino democrático em sala de aula sejam existentes.

Exigem dos alunos mais do que eles realmente podem dar. Os professores não se organizam nas reuniões para que possam casar suas atividades com outros professores com o fim de que possam exigir dos alunos sem que os tais se prejudiquem. Esses mesmos professores não estão preocupados com os problemas emocionais e pessoais dos seus alunos. Com isso temos vários alunos que não conseguem se concentrar nos estudos e muitos até mesmo procuram o suicídio no período dos seus estudos.

Passam Excesso de leitura para seus alunos DEIXANDO OS MESMOS CANSADOS E SEM DIREÇÃO. Normalmente os cursos são demasiadamente carregados por ementas e referências bibliográficas obrigatórias, ou seja, o aluno pouco lê do que deveria e o que lê as vezes não é o que seria necessário.

O ensino complexo das normas técnicas de escrita acadêmica são um atraso de vida. Na hora de elaborar uma monografia a ABNT se torna um monstro de sete cabeças e a falta de um diálogo entre orientação e disciplinas de escrita acaba dificultando a escrita e pesquisa.

Os prazos para a entrega de trabalhos são além da imaginação. Normalmente os prazos de provas e trabalhos são improporcionais a realidade.

A Falta de metodologia pedagógica de ensino é uma realidade. Normalmente na maioria dos cursos de graduação tanto os professores quanto os materiais e recursos didáticos não possuem o caráter pedagógico, ou seja, não há uma preocupação em trabalhar no como fazer as aulas e materiais de ensino-aprendizagem, deixando os alunos à mercê de cópias de capítulos de livros e fragmentos de textos e pdfs escaneados e muitas vezes fazendo com que os alunos calouros se sintam perdidos e sem referências daquilo que estão lendo em relação ao curso.

Essas não incentivam que seus alunos busquem uma formação diversificada. Isso gera pessoas que possam ter uma cultura não abalizada e que menos sejam aproveitadas no mercado de trabalho.

 


  1. “Consultores” que não sabem o que estão falando e nem se preocupam com essas pessoas

Depois que o aluno esta desiludido com tanta decepção aparecem salvadores da pátria ofertando uma “solução”. Geralmente são buscados depois desses alunos terem sofrido prejuízos com cursos que nunca deveriam ter sido feitos. Esses são os “consultores” que se acham detentores do saber que ofertam consultorias. Muitos deles sequer entendem da área mas são “paraquedistas” que buscam dinheiro fácil.

Eles cobram mas não estão interessados se aquilo que passam para seus “clientes” irá transformar ou não as suas vidas.

Muitos deles sequer tiveram experiencia em sala de aula, sequer entendem a legislação educacional, sequer possuem doutorado ou uma formação diversificada e abalizada de forma que possam compreender a educação em plenitude. Não possuem indicação, as vezes possuem processos e diversos protestos e reclamações. Não são autoridades naquilo que se propõe a fazer. Não ofertam a produção de conhecimento na área educacional e não instruem as pessoas. Não geram conteúdo mas são muito bons de papo. São cegos que guiam cegos e enchem seus bolsos.

CAPITULO II

SINTOMAS DE UM PROBLEMA MUITO MAIS PROFUNDO

O que iremos apresentar abaixo são apenas sintomas de um problema mais profundo. Na verdade apresentamos exatamente como o aluno se sente diante das ações erradas de instituições de ensino e dos “consultores educacionais”. O meu desejo é sanar a doença e não atacar os sintomas com analgésicos como as outras empresas na área da educação e seus “consultores” o fazem. As dores são apenas sintomas e não a doença em si. Aqui eu trabalho na cura para a doença.

  1. Despertando os sentidos do aluno frente a triste e cruel realidade da educação brasileira

Neste ponto do manifesto iremos abordar como essas pessoas que desejam galgar passos maiores em sua vida acadêmica e profissional encaram a realidade de suas dores com essas “instituições de ensino” e esses “consultores”. Iremos analisar isso conforme a perspectiva dessas pessoas porém não podemos fazer isso sem analisar seus principais problemas e objetivos.
2.1 – Os 10 Principais Problemas enfrentados por essas pessoas e seus objetivos.
Segue abaixo uma lista com os principais problemas enfrentados pelos por essas pessoas:

  1. Falta de Informação adequada
  2. Influencia negativa de amigos, parentes, familiares e de marketing educacional invasivo e mentiroso.
  3. Tomada de decisões equivocadas para a vida acadêmica e profissional se matriculando assim no curso errado e na instituição de ensino errada.
  4. São enganadas e ludibriadas por instituições de ensino; e por “Consultores Educacionais” que não possuem nenhuma autoridade naquilo que fazem.
  5. Não obtêm conciliação daquilo que se quer fazer, com o seu dom pessoal e com o progresso na carreira acadêmica e profissional.
  6. Perda de dinheiro nessa busca.
  7. Desistência da vida acadêmica.
  8. Não conseguem atuar em sua área após a conclusão do curso.
  9. Despreparação para o mercado de trabalho
  10. Não obtêm retorno significativo em suas carreiras profissional e educacional.

2.2 – Os 10 Principais Objetivos dessas pessoas

Segue abaixo uma lista com os principais objetivos dessas pessoas:

  1. Ingressar no curso certo para ele.
  2. Ingressar na  instituição de ensino melhor para ele.
  3. Ser bem tratado pela instituição que esta matriculado.
  4. Estudar aquilo que gosta, mas saber que irá ganhar dinheiro com a profissão que escolheu.
  5. Estudar com economia.
  6. Concluir o curso que se comprometeu.
  7. Estar preparado para o mercado de trabalho e atuar em sua área.
  8. Passar em um concurso público e ter uma segurança maior em sua vida profissional ou conseguir um emprego sólido.
  9. Saber que seu dinheiro investido valeu a pena.
  10. Ter mais qualidade de vida e lazer.
  11. O Estudante e a realidade captada pelos seus sentidos.

3.1 – O que ele vê?

No início vê que a instituição de ensino e que o curso pretendido por ele irá  solucionar todos os seus problemas. Claro que as pessoas a volta do desejoso e a instituição de ensino dizem que ele deve fazer isso e aquilo. As pessoas a sua volta falam aquilo que acham e as instituições de ensino sem escrúpulos prometem tudo para colocar a mão no dinheiro daquele que deseja crescer em sua vida acadêmica e profissional.

O estudante se depara com pessoas que veem a única saída de suas vidas como ser um concursado em setor público. Mas mesmo com isso se depara na televisão com noticias de concursos públicos que são fraudados.
Encara o fato que existem muitos professores incompetentes no mercado de trabalho. O aluno vê suas necessidades ignoradas pela própria instituição de ensino que prometeu tudo para protege-lo.

O aluno ainda se depara, com a história de várias pessoas que concluíram seus respectivos cursos e que estão com seus respectivos diplomas, desempregados, por conta própria ou levam um vida menos digna daquela vida que sonharam ou merecem. Ele vê pessoas que não possuem nível superior, empregadas e outras com nível superior desempregadas. Quando os graduados estão empregados, os mesmos ganham o mesmo salário de alguém que não se formou. Isso desestimula a muitos alunos fazendo com que os tais desistam de seus cursos e carreiras.

3.3 – O que o aluno escuta?

O candidato muitas vezes escuta que as pessoas a sua volta. Elas dizem que ele deve fazer um curso superior X ou Y na instituição de ensino Z. O desejoso por uma vida melhor apenas executa aquilo que as pessoas a sua volta falam.

Em muitos casos, o candidato acaba se matriculando em uma boa instituição de ensino. A mesma possui uma das melhores notas do MEC. Porém, quando ele começa seus estudos se sente enganado. O mesmo começa a se perguntar se os padrões do MEC são verdadeiramente altos. Ele gosta da carreira X mas escuta do seu pai: Seja y pois somos de uma família de Y. Ou então escuta: “isso não da dinheiro!!! Você tem que fazer alguma coisa que te de dinheiro e lhe proporcione estabilidade”. Em outros casos escuta: “faça qualquer curso superior e passe em um concurso publico”.

Para aqueles que desejam se aventurar e estudar no exterior escutam coisas do tipo: “Estudar no exterior não presta, pois seu diploma não vale nada no Brasil”. Isso demonstra a total ignorância do assunto com respeito a matéria.
3.4 – O que aluno fala?

O discurso do aluno é resultado daquilo que ele viu, ouviu e se deparou em sua caminhada. Muitas vezes ele repete os discursos que sempre escuta sem demonstrar que possuem uma opinião própria. Na maior parte das vezes eles entram de cabeça conforme a opinião da massa. Ele antes de se matricular enaltece a instituição de ensino e depois é o primeiro a criticar a mesma. Fala de todos os problemas daquela instituição: “eles somente pensam em dinheiro”, “esta instituição não se preocupa conosco”, esta instituição não demonstra qualidade”, “Todas as instituições de ensino são todas iguais só querem lucrar” etc.
3.5 – O que o aluno pensa?

Antes de entrar em uma instituição de ensino o aluno acredita que a instituição de ensino irá cumprir com tudo o que foi prometido porém com o passar do tempo vê que foi enganado. Mas já entra na instituição de ensino pensando que sua empolgação será para sempre. Depois que começa a se deparar com os reais empecilhos começa a ter dúvidas de sua escolha. Diante disso o aluno desiste ou deseja acabar logo para buscar o seu diploma e sair correndo para nunca mais voltar para aquela instituição.

Alguns não tem dinheiro para estudar e tentam planos como o FIES que acarretará em uma vida de endividamento, pois é apenas empréstimo. Ele pensa que existem áreas promissoras de estudo para se ganhar dinheiro e outras não. Ele tem medo de perder seu tempo no inicio com estudos que não terão utilidade para sua vida profissional.

Ele começa a perguntar se seus estudos irão lhe garantir um emprego pois sabe que muitas são as pessoas diplomadas que não possuem emprego garantido. “Vou fazer faculdade mas só para me formar mesmo porque estudar não da dinheiro nesse pais” pensa o aluno.

3.2. – O que o aluno sente?

Com todas as promessas não cumpridas o aluno se sente enganado pelas pessoas e demais instituições de ensino.

Ele começa a se questionar acerca do seu lugar no mercado de trabalho. Ele se sente totalmente perdido.

As vezes ainda não descobriu sua carreira e dentro da própria instituição de ensino não existe ninguém que proponha ajuda-lo para que ele se descubra.

Com isso tudo o aluno se sente desrespeitado pela instituição que esta tomando o seu dinheiro. O aluno se sente infeliz e sua única obrigação é pagar.
Diante da falta de cumprimento com o aluno, o mesmo não se sente tão empolgado em cumprir com aquilo que a instituição exige. Se eles cobram devem dar o exemplo não é mesmo?!!!

CAPITULO III

Conhecendo a Verdadeira Doença por detrás dos sintomas e sugestões para tratamento

Nada do que foi apontado é o real problema. O real problema é que o candidato que deseja uma vida acadêmica e profissional de sucesso sofre de uma síndrome que pode ser chamada de Síndrome da Lobotomia Massiva. Isso acontece quando a mente dessas pessoas é lavada pela falta da informação e pela desinformação contida em seu meio impossibilitando as mesmas de tomar decisões assertivas. Essas pessoas apenas consomem aquilo que dizem ser bom para elas. O problema é que esses conselhos dados fracassaram para várias pessoas. Elas perderam a individualidade e acham que uma opinião genérica irá resolver os seus problemas. O aluno perdeu a sua individualidade e também desconhece suas aptidões para a vida acadêmica e profissional.

Uma sociedade bem informada é uma sociedade mais qualificada e não manipulada.

CAPITULO IV

Soluções Conhecidas no mercado educacional para o aluno e os fracassos dessas soluções

A maior parte das instituições das instituições de ensino e consultores acadêmicos, defendem por meio de suas atitudes, que a solução para os problemas dessas pessoas é fazer cursos reconhecidos pelo MEC em faculdades respeitadas, em áreas que sejam “relevantes” para o mercado de trabalho. Essas procuram esgotar seus alunos ao máximo. Submetem aluno a aulas presenciais auxiliando o mesmo com ferramentas EAD (retrogradas) para potencializar o aprendizado.

Passam grandes quantidades de leituras e trabalhos com fim de potencializar o aprendizado do aluno forçando ele a decorar dados tornando o mesmo incapaz de pensar por si mesmo por meio da reflexão.

4.1 – Contradição dessas soluções:

A forma mais fácil de contradizer essas soluções para a educação brasileira é perguntar a qualquer estudante o que ele quer. Nisso teremos boa parte das soluções reais.

Vemos que cada vez mais, temos estudantes que trocam de cursos ou trancam os mesmos, pois não fazem aquilo que realmente desejam. Vemos alunos deprimidos por causa disso.

Estudar em uma faculdade reconhecida pelo MEC, em instituições de renome e em área “relevante” para o mercado de trabalho, não garantirá dedicação ao curso e sequer irá garantir sucesso profissional ou acadêmico. Basta verificar o número de estudantes que trancam seus cursos, não dão continuidade ou quando concluem estão com o diploma debaixo do braço (muitas vezes sem a menor aptidão para a área escolhida) e sem emprego.

Esgotar os alunos somente irá criar pessoas reprimidas que terão relacionamentos distantes dos seus familiares e das pessoas que amam. Fazer isso criará total aversão aos estudos desejando que esse pesadelo acabe tornando pessoas cada vez mais agressivas consigo mesmas e com o mundo. Não é a toa que muitos deixam de concluir sua faculdade por não aguentarem mais. Além da estafa e falta de incentivo possuem dificuldade em guardar as informações pois sua mente esta cansada. Além disso cada professor ensina como quer ensinar sem uma metodologia precisa. Isso confunde os estudantes na maior parte das vezes.

4.2 – Sugestão para Tratamento

É necessário pensar no novo que estamos propondo aqui. Insanidade é fazer a mesma coisa e esperar um resultado diferente como foi proposto pelo Gênio Albert Einstein.

Tratando desse problema as pessoas não se sentirão mais assim. Qual seria a melhor forma de tratamento?

Bom poderíamos sugerir:

  1. Antes que o candidato ingresse em curso ele deve pesquisar a ponto de tomar a decisão por si mesmo e não pelas decisões dos outros.
  2. Ele deve fazer uma consulta para saber acerca de suas aptidões e áreas que mais combinem com o seu perfil.
  3. Ele deve decidir-se pelo curso certo para ele e a instituição de ensino para ele.
    4. Deve optar por cursos que ele goste sem que ele precise se ater a uma unica área do saber humano para que assim possa ter uma formação diversificada e abalizada.
  4. Deve pesquisar preços e avaliar suas opções de maneira que analise o investimento e o retorno que ele terá com o curso desejado
  5. Optar cursar em instituições de ensino que possam instrui-lo com qualidade e sem que ele precise morrer por causa disso.
    7. Deve optar por consultoria especializada no assunto ante de tomar qualquer decisão.
    8. Deve criar um planejamento acadêmico para o seu progresso profissional.
  6. Deve obter metória acadêmica de maneira que seja acompanhado seu progresso acadêmico e profissional.
  7. Deve se manter atualizado acerca da educação e da profissionalização brasileira.

Capitulo VI

A Cura para a Doença

Nossa proposta é inovadora totalmente opositora das supostas soluções que não funcionam. Não tratamos os sintomas e sim atacamos a doença.
A cura para doença é a contratação de uma consultoria educacional que coloque a ideologia acima do dinheiro e coloque o aluno acima dos seus interesses pessoais. É a mesma manter um relacionamento direto com o aluno sem que o mesmo se sinta abandonado, o enxergando como um ser humano na sua totalidade.

Essa consultoria irá guiar o estudante para tomar as decisões certas, com informações relevantes e uma solução unica para cada caso. Ela irá informar tudo aquilo que o aluno precisa saber acerca de obter a educação certa.

Essa consultoria irá descobrir as aptidões de cada caso, direcionando o candidato para seguir o rumo certo em sua carreira.

A consultoria deverá indicar a instituição de ensino melhor para cada caso e assim também irá orientar seus clientes a obtêm uma formação diversificada.

Com isso o candidato irá decidir de maneira assertiva pelo curso que goste e em conformidade com suas aptidões. Poderá cursar na instituição de ensino certa para ele e com as informações assertivas acerca da educação brasileira e suas possibilidades na sua profissionalização.

Este é o nosso MANIFESTO!!!

Autor: Prof. Dr. Ítalu Colares, PhD