Blog     |      +55(61) 4103-8723

Menu

WhatsApp                        

Mini Cart

Tudo que você irá ler a seguir são mentiras e mitos que você já deve ter ouvido. Estamos aqui respondendo e desmascarando esses mitos e mentiras!!!

Se você está nessa página você já deve ter escutado coisas do tipo:

10 MITOS ACERCA DA REVALIDAÇÃO DE DIPLOMAS ESTRANGEIROS E A VERDADE REVELADA POR TRAZ DESSAS MENTIRAS

“O curso estrangeiro precisa ser cursado de forma presencial para poder ser revalidado no Brasil”

Resposta: Mentira. Os cursos estrangeiros em nível de mestrado e doutorado cursados no exterior não precisam ser cursados presencialmente. Isso é um mito. Na década dos anos 90 saiu um decreto definindo: “cursos de mestrado e doutorado cursados a distância não poderão ser revalidados no Brasil”. Esse decreto foi revogado no ano de 2001. Isso quer dizer que não é porque o curso  de mestrado ou doutorado sendo online impedirá a revalidação desta titulação no Brasil. O Conselheiro do CNE, Luiz Roberto declarou em audiência pública o seguinte acerca deste assunto: “não importa a modalidade de curso, se é presencial ou a distância, se revalida o documento”. Na revalidação de diplomas estrangeiros por meio de universidades brasileiras levam-se em consideração os seguintes fatores:

  1. O curso   deve possuir uma carga superior a exigida no Brasil.
  2. O curso deve possuir disciplinas correlatas, semelhantes, iguais ou equivalentes das exigidas no Brasil.
  3. A área de curso deve ser correlata, semelhante, igual ou equivalente dos cursos existentes no Brasil.
  4. A universidade brasileira em que o aluno concludente do curso no exterior entrar com o processo de revalidação deve oferecer o curso em questão.
  5. A documentação de conclusão deve estar totalmente legalizada para o Brasil (apostilamento caso seja de país pertencente a Convenção de Haia ou autenticação consular).
  6. Tradução juramentada de toda a documentação de conclusão do curso.
  7. Dissertação ou Tese encadernada.
  8. Currículo dos professores avaliadores do curso.
  9. Ementa e conteúdo programático do curso.

10.Entrar na data determinada com o processo de revalidação por meio do edital fornecido pela universidade.

11.Caso a universidade esteja adequada ao portal Corolina Bori o aluno poderá acompanhar seu processo por meio do portal.

 

“ Quando se vai revalidar um diploma é muito caro”

Resposta: Esse valor poderá variar entre 2000 e 7000 reais dependendo da universidade brasileira que fará o processo de revalidação. Não é caro quando se compara com os valores cobrados pelas universidades brasileiras pelos programas de mestrado e doutorado.

 

“Se a universidade que você cursou não obteve nenhum diploma revalidado no Brasil, você não irá conseguir revalidar seu diploma em nenhuma universidade brasileira”

Resposta: Mito!!! Não importa se nenhum título foi revalidado ainda. Isso pode ter acontecido por inúmeros motivos. Um deles é que muitos alunos sequer entraram com o processo de revalidação ou se entraram não entendem como o processo funciona e meteram “ os pés pelas mãos.”

 

“A universidade estrangeira é avaliada no processo de revalidação”

Isso não é verdade. O que se avalia é o documento e o mérito do aluno. As universidades brasileiras não podem atentar contra a soberania internacional das universidades que diplomaram brasileiros. Irá ser avaliado o histórico escolar, carga horária e as disciplinas que foram cursadas.

 

“É necessário um convênio da universidade estrangeira com uma universidade daqui para revalidar um diploma”

Outra grande inverdade. Não existem convênios de colaboração científica para a facilitação dos processos de revalidação de diplomas estrangeiros. Isso seria crime e um tremendo ato de nepotismo. Se isso fosse verdade, outras universidades estrangeiras colocariam em seus sites: Nossos diplomas são revalidados no Brasil pela Universidade X. Isso não existe.

 

“A revalidação é obrigação da universidade estrangeira que oferta o curso”

Nenhuma universidade estrangeira tem ou terá a obrigação de revalidar quaisquer diplomas no Brasil ou em quaisquer outros países. A mesma entregando toda a devida documentação para o aluno e após a conclusão do curso e estando legal no seu país de origem nada mais está obrigada a fazer. A LDB diz que é direito do aluno buscar a revalidação do seu diploma. Não existe nenhuma  outro responsável nesse processo. Caso o aluno deseje poderá contratar consultoria para auxiliá-lo no processo.

 

“Os tratados internacionais facilitam a revalidação de diplomas”

Outra grande inverdade. Nem acordo MERCOSUL , tratado dos países de língua portuguesa, tratado de Haia ou quaisquer outros tratados poderão facilitar a revalidação do diploma no Brasil. A única coisa que pode facilitar o trabalho do aluno com o tratado de Haia é que, agora como o Brasil faz parte do tratado supracitado, o aluno não precisará buscar autenticação consular para seu diploma, se o país o qual está a universidade estrangeira também pertencer ao tratado de Haia. O processo de revalidação é o mesmo tendo algumas nuances de universidade para universidade brasileira.

 

“Para se usar o título estrangeiro no Brasil precisa -se revalidar”

Outro engano das pessoas que não sabem de nada e falam como verdadeiros especialistas. O código civil diz que o título é direito cultural, intransferível e irrevogável do aluno. O título faz parte do patrimônio cultural do estudante. Ele poderá se apresentar como portador do título sem estar infringindo nenhuma lei constituída. O mesmo poderá enriquecer seu  currículo    poderá escrever livros, ministrar aulas, participar de debates, palestras e workshops ostentando o seu título. Fato que uma pessoa que possui um diploma americano possui muito mais respeito que qualquer outro com um diploma brasileiro. Vale ressaltar que nada impede os órgãos aceitarem os títulos revalidados ou não revalidados. Isso irá valer de cada órgão.

 

 

“Posso cursar em uma universidade parceira de um instituto que diz que o diploma já vem revalidado”

Isso não existe!!! O processo de cursar um programa de ensino estrangeiro é um e o processo de revalidação do diploma deste curso concluído é outro. São duas coisas antagônicas. A pessoa não revalida o diploma antes de concluir o programa de estudos no exterior. Primeiro a pessoa deve cursar o programa e depois buscar a revalidação do diploma. Quem promete isso está enganando o aluno que não conhece o processo. Se souber de alguém ou quaisquer instituições que prometam isso denunciem.

 

“Um diploma se não for revalidado não vale para nada no Brasil”

Isso é um mito!!!  O diploma não revalidado servirá para rechear o currículo do portador e servirá para que o tal se apresente como portador do título. O diploma também servirá para fins de docência, acadêmicos, prova de títulos, empresariais e promoção salarial. Os únicos casos que   esse diploma precisará passar por uma revalidação, será:

  1. Caso o candidato preste um concurso público que essa exigência esteja descriminada em edital.
  2. Caso o candidato apresente em um órgão que em seu regimento interno exija isso para aceite.

 

COMO TRANSFORMAR UM MESTRADO

Muitas pessoas no Brasil, ingressaram em mestrados e doutorados livres por falta de condição monetária, conhecimento ou até mesmo oportunidades em cursar em uma universidade com os devidos reconhecimentos.

O problema é que essas pessoas utilizam essa informação em seus respectivos curriculuns, porém a maior parte dos órgãos rejeitam, pois entendem que o curso não é um curso acadêmico.

Não é algo contra lei, mas os cursos livres (mesmo os de nível de mestrado e doutorado) são cursos considerados não acadêmicos.

Os mestrados livres e doutorados livres são conhecidos também como mestrados e doutorados intra-corpus. São cursos aceitos dentro do corpo institucional de determinada instituição.

Diante disso as pessoas portadoras dessa titulação se sentem frustradas pois acreditam que perderam tempo e dinheiro.

Nesse artigo iremos desmistificar isso e demonstrar que apesar da legislação brasileira não dar parâmetro para a convalidação dos mestrados livres e doutorados livres em teologia (ou qualquer outra área) os mesmos podem passar por um outro processo 100% legal que irá fazer com que seus portadores possam ter títulos acadêmicos de fato e verdade.

  1. Conceito

Mestrado Livre: Mestrado livre é o termo utilizado pelos centros estudantis como referência a um programa de mestrado não submetido à avaliação de órgãos de ensino oficiais (como a brasileira CAPES, do MEC). Tal titulação – na maioria das vezes – é reconhecida exclusivamente em âmbito de organizações religiosas. Essa categoria de mestrado (não menos exigente que as outras) às vezes pode ser denominada também como profissional ou lato sensu, como o citado em algumas biografias, e – mesmo tida como de validade intra-corpus – pode vir a ter reconhecimento mais fora do país de que dentro; isso porque as instituições internacionais (reconhecidas e congêneres) emitem diplomas em parceria com aquelas em que o aluno defendeu sua dissertação.

Ou seja, nesses casos, o título obtido por um programa de mestrado livre não diferiria (no sentido de honra, ou status) do título obtido por um programa de mestrado convencional , não excluindo com isso a possibilidade de – a posteriori – algum mestre dessa modalidade livre, independentemente de vínculos internacionais, também vir a ser validado.

Isso falando dessa modalidade livre que, apesar de não terem a obrigatoriedade de serem submetidos à uma avaliação oficial de órgãos governamentais (por exemplo, no caso do Brasil, com o MEC), o curso livre dessa “plataforma” é – mesmo assim – constantemente consultado/”analisado”,bem como para evitar excessos/confusões/fraudes, podendo ser citado até fiscalizações do MPF (Ministério Público Federal) em 2014.

Doutorado Livre: Doutorado livre é o termo utilizado pelos centros estudantis como referência a um programa de doutorado não submetido à avaliação de órgãos de ensino oficiais (como a brasileira CAPES, do MEC). Tal titulação – na maioria das vezes – é reconhecida exclusivamente em âmbito de organizações religiosas. Essa categoria de mestrado (não menos exigente que as outras) às vezes pode ser denominada também como profissional ou lato sensu, como o citado em algumas biografias, e – mesmo tida como de validade intra-corpus – pode vir a ter reconhecimento mais fora do país de que dentro; isso porque as instituições internacionais (reconhecidas e congêneres) emitem diplomas em parceria com aquelas em que o aluno defendeu sua dissertação. Ou seja, nesses casos, o título obtido por um programa de doutorado livre não diferiria (no sentido de honra, ou status) do título obtido por um programa de mestrado convencional , não excluindo com isso a possibilidade de – a posteriori – algum doutor dessa modalidade livre, independentemente de vínculos internacionais, também vir a ser validado. Isso falando dessa modalidade livre que, apesar de não terem a obrigatoriedade de serem submetidos à uma avaliação oficial de órgãos governamentais (por exemplo, no caso do Brasil, com o MEC), o curso livre dessa “plataforma” é – mesmo assim – constantemente consultado/”analisado”,bem como para evitar excessos/confusões/fraudes, podendo ser citado até fiscalizações do MPF (Ministério Público Federal) em 2014.

Apesar de não valerem como titulação acadêmica são ótimos para aquisição de novos conhecimentos e indicado para pessoas que não podem cursar um mestrado ou doutorado acadêmico. Eles servem para preencher currículo e com certeza seus conhecimentos poderão ser utilizados na carreira profissional.

 

Os Problemas dos Mestrados e Doutorados Livres

Geralmente as pessoas que se aventuraram nesses cursos foram pessoas que terminaram o bacharelado Livre em Teologia e ingressaram posteriormente para um mestrado e doutorado livre na mesma área.

Outras viram na internet cursos com um valor atraente e se matricularam fazendo o mesmo curso pela internet sem realmente avaliar a situação. Não existem cursos dessa natureza apenas na área teológica porém em várias áreas podem ser encontradas na internet como: Educação, Psicanálise e outros.

No caso dos cursos de teologia de seminário maior, desde o ano de 2004 poderiam ser submetidos a um processo conhecido como Integralização de Créditos ou também conhecido como convalidação. Nesse processo o aluno deveria cursar 20% da carga horária do curso de teologia em uma faculdade devidamente credenciada pelo MEC para que assim obtivesse um diploma emitido por essa mesma faculdade e o mesmo fosse aceito para o exercício profissional.

O grande problema é que os mestrados livres e doutorados livres em teologia não se enquadram nessa lei em questão.

Outro problema é que mesmo o aproveitamento de disciplinas de cursos de Stricto Sensu (Mestrado e doutorado) não tem embasamento nas leis e diante disso não existe nenhuma possibilidade de que alguma universidade brasileira com a devida recomendação da CAPES possa aproveitar as disciplinas dos mestrados e doutorados Intra-Corpus para o ingresso ou aproveitamento de disciplinas nesses cursos.

Então qual a saída? Aparentemente não tem nenhuma, mas leia até o final.

 

Solução para os portadores de mestrados e doutorados Livres

A única solução para que os portadores desses certificados possam não ter seu tempo perdido no que tange em adquirir uma habilitação acadêmica esta em torno da Validação.

O processo de validação se resume na emissão de um novo diploma e histórico para o candidato que concluiu um determinado curso em uma determinada instituição de ensino superior.

A validação é um processo adotado por universidades estrangeiras. Você somente poderá obter uma autenticidade acadêmica do tempo perdido apenas passando por esse processo.

O título emitido no exterior é automáticamente acadêmico sem precisar que o mesmo seja submetido a quais outros processo adicionais. Pode-se ver isso pelas celebridades brasileiras que estudaram no exterior e são altamente respeitadas.

 

O que a Validação lhe garante?

A Validação lhe garante que o tempo que você cursou o seu curso livre possa ser recompensado com a garantia de um título acadêmico e valido e não apenas um curso livre. Você poderá ser aceito para palestras, conferências; publicar livros, artigos e periódicos; ministrar aulas em faculdades e universidades. Isso você não pode exercer com respeito e nem maestria caso tenha apenas um título livre que também são conhecidos nos meio acadêmico como “títulos podres”.

Para os que desejam revalidar seus respectivos diplomas de mestrado e doutorado por meio de universidades brasileiras, somente os portadores de títulos expedidos no exterior poderão obter esse privilegio. A LDB (Leis das Diretrizes e Bases da Educação) abaixo somente da constituição federal é clara quando afirma que a revalidação de diplomas estrangeiros somente pode ser oportunizadas para portadores de diplomas emitidos no exterior.

Para saber mais acerca da revalidação de diplomas estrangeiros acesse:

 

Cuidados ao se Validar um mestrado e doutorado Livre

Deve-se saber alguns pontos essenciais para saber onde se deve entrar em um processo como esse. Você deve se ater alguns detalhes essenciais quando buscar uma universidade estrangeira que oferte esse processo.

  1. Modalidade de Ensino: Procure Universidades que possam oferecer as principais modalidades de ensino: Presencial ou á distancia. Isso é importante você saber quando for questionado ao apresentar o documento em quaisquer órgãos.
  2. Integridade Institucional:Verifique se a instituição de ensino pretendida por você possui tempo no mercado, se possui ou não reclamação no reclame aqui, se a mesma responde a alguma ação judicial ou até mesmo criminal, se a mesma possui protesto ou não no cartório, se a mesma possui negativação ou não no SPC e Serasa e verifique também sua avaliação na internet. Todas essas são maneiras de evitar problemas futuros. Procure saber se a universidade esta devidamente reconhecida no pais onde esta alocada, se possui acreditadoras, se possui ISNI e até mesmo se possui parcerias com órgãos brasileiros. Procure saber se ela tem alunos satifeitos e seguidores na Internet. Saiba se a universidade que você pretende fazer esse processo possui cadastro junto ao CADI do CNPQ do Brasil e se esta devidamente cadastrada no Portal Carolina Bori (Portal Nacional de Revalidação de Diplomas no Brasil).
  3. Diploma Emitido:Procure saber se o diploma emitido pela Universidade é emitido de maneira legal, podendo o aluno obter todas as devidas autenticações necessárias para os devidos efeitos em seu país de origem.

Sugestão de Universidade para entrar com o Processo de Validação de Diplomas estrangeiros.

Sugerimos a EBWU pois a mesma possui:

Acreditação da Universidade: A EBWU possui acreditação pelo menos de 5 acreditadoras de respeito nos Estados Unidos da América: International Association of Universities, American University Consortium, AAHEA, IOED, California-University.
Integridade Institucional: A EBWU foi aberta como a Universidade Americana para Brasileiros em todo O Mundo que Não Falam Inglês. A diretoria da mesma é composta por brasileiros, além da maior parte do seu corpo docente. Nela você não precisará saber falar inglês para
estudar. A EBWU-Emil Brunner World University é uma universidade registrada na Flórida sob o código de Autenticação Número 141203101417-800277052878#1 desde 2014. Está devidamente registrada no Departamento de Educação da Flórida e está devidamente autorizada pela Comissão para Educação Independente para sua atuação.
A EBWU possui uma das melhores avaliações da internet. Possui vários depoimentos favoráveis de alunos. Possui mais de 100 mil seguidores na internet e é a única universidade nos estados unidos que possui um convenio com a secretaria de Justiça de Santa Catarina. A mesma oferta a duração dos seus programas de acordo conforme estabelecido pela Comissão Independente para a Educação na regra 6E 2004 (4) FAC. A autorização dos seus cursos estão de acordo com a Section 1005.06 (1)(f), FS e de acordo com a Rule 6E-5.001, Fla, Admin. Code. A mesma possui ISNI e também esta devidamente cadastrada no Portal Carolina Bori além do CADI do CNPQ-Brasil.
Cursos semelhantes no Brasil: Os Programas de ensino da EBWU são equivalentes, correlatos iguais ou semelhantes com carga horária superior aos cursos ofertados em mais de 100 países incluindo o Brasil.
Documentação Legalizada para seu país: Caso seja desejo do aluno o mesmo poderá notariar e apostilar seu documento conforme reza a Convenção de Haia. Quando pedido pelo concludente a EBWU se compromete a encaminhar os documentos de conclusão de quaisquer um de seus programas para ser notariado e apostilado conforme a convenção supracitada.

 

 

 

As pessoas sempre pensam nisso, porém nem sabem o básico para se decidir acerca disso. A resposta para isso irá depender do propósito de cada um.

Se o seu propósito é adquirir mais conhecimento, cultura e notoriedade nacional e internacional você deve optar por cursar se mestrado e doutorado no exterior.

Se você não deseja notoriedade não recomendo que você faça um curso de Stricto Sensu. Esses cursos existem para tirar você do senso comum. Caso não deseje sair do senso comum não faça.

Deve-se saber que o Brasil possui um dos piores índices educacionais do planeta. Não é coincidência que sabemos de varias celebridades e personalidades que viajam para estudar no exterior.

Mas nesse artigo serei imparcial. Irei apresentar os empecilhos de você cursar seu mestrado e doutorado no Brasil, além de mostrar os empecilhos de você viajar para estudar no exterior.

Agora vamos abordar as opções que você tem para cursar seu mestrado e doutorado:

 

  1. Estudar em uma Universidade Federal Brasileira

Estudar nessa opção poderá acabar com a sua vida. Não podemos esquecer que as universidades públicas brasileiras se tornaram centros de doutrinação marxista. Isso não ajuda a reflexão e sequer a produção de novas idéias. Deve-se ter em mente que são poucas vagas ofertadas nessas universidades (25 vagas anuais). Isso não atende a população que deseja prosseguir seus estudos. Os professores dessas universidades já possuem os seus “indicados”  para assumir essas vagas. Parte dessas universidades, estabelecem limites de idade. Elas também exigem que seus alunos não tenham outras atividades. Sendo assim você mesmo que seja aceito não poderá trabalhar e fazer mais nada da sua vida exceto estudar. Terá aulas de manhã, de tarde e de noite. Além disso, você poderá contar com as greves sucessivas. Um curso de mestrado de 24 meses você poderá concluir o mesmo em até 4 anos. Isso tudo sem contar com os gastos com livros, gasolina e alimentação.

 

  1. Estudar em uma Universidade Particular Brasileira

Estudar nessa opção poderá acabar com todo o seu dinheiro. Não podemos esquecer que mesmo as universidades particulares brasileiras também disponibilizam poucas vagas para cursos de mestrado e doutorado (25 vagas anuais). Isso não atende a população que deseja prosseguir seus estudos.

As mensalidades são extremamente caras. Certa universidade particular em Brasília oferta o mestrado com mensalidades nos valores de 3500 reais. Se somar o que você ira gastar no decorrer do programa com gasolina, alimentação, livros, mensalidades você terá gasto em média 150 mil reais. Isso equivale ao preço de uma kitnet ou até mesmo uma casa em determinadas regiões do Brasil. A maior parte da população brasileira não possuem recursos financeiros para custear isso tudo. Mesmo que você tenha um reajuste salarial com seu título de mestre e doutor se pesar aquilo que você investiu você vai ver que de fato não valeu a pena o investimento do seu dinheiro.

  1. Cursar um Mestrado e Doutorado Profissional nas Faculdades Particulares

Os mestrados e doutorados profissionais são aqueles que são ofertados visando a profissão em particular e não a docência. Esses visam preparar o profissional para os desafios de sua profissão na atualidade. Eles podem ser ofertados por faculdades particulares brasileiras. Eles são mais em conta em alguns casos no que diz respeito ao valor das mensalidades. Você deve ter em mente que você cursando esse mestrado poderá ter outros gastos com alimentação, hospedagem, viagens e até materiais didáticos e livros. Tenha em mente que essas faculdades que ofertam esses programas, não podem ser encontradas em quaisquer esquinas. Muitas vezes você deverá viajar no período de férias e deverá passar duas semanas para participar das aulas no período de alta temporada. Esse período as passagens estão mais caras. Diante disso você ainda contará com valores tão exorbitantes quanto no caso das universidades particulares.

 

  1. Viajar para Estudar seu Mestrado e Doutorado no Exterior

Estudar nessa opção não somente acabará com seu dinheiro com também irá acabar com as suas férias junto de sua família. Nesse caso você deverá viajar entre 4 e 8 vezes durante o seu curso no período das férias em alta temporada. Dependendo do país você poderá gastar entre 10 e 20 mil reais por viagem. Se contar com as mensalidades, gastos com livros você gastará quase o mesmo que em uma universidade particular no Brasil.

Diante disso ainda existe o problema de você ficar longe de sua família e daqueles a quem você ama.

Então diante disso você deve estar pensando que não existe saída. Mas existe sim.

 

SOLUÇÃO PARA O SEU PROBLEMA

A solução nesse caso será que você curse seu mestrado e doutorado em uma universidade estrangeira na modalidade EAD. Isso fará com que você não precise gastar dinheiro com hospedagem, viagens e fique longe da sua família e daqueles a quem você ama.

 

UNIVERSIDADE RECOMENDADA

Nesse caso recomendamos a EBWU – Emil Brunner World University. Esta é uma universidade devidamente registrada nos Estados Unidos da América no estado da Florida, no Departamento de Educação da Florida, acreditada por acreditadoras americanas e localizada em área nobre de Miami-FL.

Essa universidade é a única universidade do planeta que possui um Covênio com a Secretária de Justiça de Santa Catarina (Brasil) para a oferta dos programas de mestrado e doutorado.

A mesma foi fundada para atender brasileiros no mundo inteiro sem que esses precisem saber falar inglês.  Ela é a única universidade americana que possui essa proposta.

Os programas ofertados por ela estão autorizados de acordo com a Section 1005.06 (1)(f), FS e de acordo com a Rule 6E-5.001, Fla, Admin. Code. A duração dos programas ofertados pela EBWU estão de acordo conforme estabelecido pela Comissão Independente para a Educação na regra 6E 2004 (4) FAC. Todos os seus programas incluindo os programas de mestrado e doutorado podem ser cursados na modalidade EAD em quaisquer parte do mundo.

A mesma possui plataforma digital de aprendizagem com todo o material didático incluso além de uma sala virtual de aprendizagem com capacidade para 500 alunos simultâneos na resolução Full HD.

Ela é a única universidade nos Estados para brasileiros em todo o mundo que não falam inglês com essa tecnologia para atender pessoas que desejam cursar um mestrado e doutorado na modalidade EAD com um baixo custo e alto benefício.

Ela ainda oferta para seus alunos consultoria para a revalidação de seus diplomas no Brasil caso seja desejo do aluno.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support